Quais são as vantagens do fluxo digital na confecção de peças protéticas?

Deve ser entregue ao laboratório o maior número de informações para execução dos trabalhos protéticos, da mesma forma que no formato analógico. 

No escaneamento intraoral, é feita a aquisição da imagem e o software é capaz de fazer a leitura do transferente de escaneamento escolhido e o reconhecimento do posicionamento tridimensional e das informações inerentes ao sistema de implante para gerar um modelo digital com os respectivos análogos desses implantes. Em seguida um modelo virtual é impresso.

A partir daí, o laboratório de prótese consegue sobrepor o planejamento inicial no modelo de trabalho com o software de modelagem 3D, planejar o trabalho protético final e, posteriormente, enviar para usinagem da peça ou usinagem/impressão da réplica para injeção.

O dentista deve também enviar ao laboratório todas as informações e a indicação do que vai ser utilizado como componente protético, incluindo sistema de retenção, bem como o uso e tipo de intermediário protético, para que o laboratório possa dar continuidade na execução da peça protética.

Contudo, as principais vantagens do fluxo digital para obtenção de peças protéticas são a redução de tempo no processo de envio de informações, e eliminação de etapas laboratoriais e clínicas que podem gerar erros de manuseio humano como o ato de moldagem, confecção e armazenamento dos moldes, e produção das peças protéticas.

Fluxo Digital na Implantodontia
Marcos Celestrino

Marcos Celestrino

Cirurgião-Dentista
Especialista em Prótese Dentária
Responsável Técnico do Laboratório Aliança de Prótese Odontológica Ltda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nome *