Conceitos periodontais no planejamento estético: do analógico ao digital

Dr. Patrick Alves

A tecnologia digital vem alterando o fluxo de trabalho nas mais diversas áreas e na odontologia não seria diferente. Na perio-implantodontia os exames complementares evoluíram, facilitando o diagnóstico e o planejamento.

A radiologia digital, a fotografia e os escaneamentos, tanto intraorais quanto de modelos, permitem uma maior previsibilidade nos tratamentos executados. Além disso facilitam a comunicação entre os especialistas e, principalmente, com o próprio paciente, que consegue visualizar com maior realismo as possibilidades e limitações dos tratamentos que serão realizados.

Vale salientar que, apesar da tecnologia oferecer ao cirurgião-dentista ferramentas de planejamento que tornam os tratamentos, na maioria das vezes, mais ágeis e assertivos, os conceitos biológicos relacionados tanto à periodontia quanto à implantodontia permanecem pouco alterados, sendo fundamental o seu conhecimento.

Entendendo o espaço biológico periimplantar e a saucerização

Alguns autores preconizam a instalação dos implantes de maneira mais ou menos profunda. De 3 a 4 mm de profundidade em relação à margem gengival desejada geralmente é suficiente para garantir espaço para formação dos tecidos moles peri-implantares.

Vale salientar, neste momento, que os tecidos moles peri-implantares se organizam de maneira semelhante aos encontrados ao redor dos dentes. Há a formação de sulco, epitélio juncional e tecido conjuntivo. Esse último não está inserido ao implante como nos dentes, passando a se chamar de adesão conjuntiva.

Profundidade ideal para construção de um perfil de emergencia peri-implantar

Veja agora um trecho da palestra sobre esse assunto!

Planejamento digital auxiliando no manejo cirúrgico das margens gengivais

Para iniciar um planejamento digital é essencial o conhecimento dos parâmetros estéticos ideais, pois eles são excelentes ferramentas de planejamento e, sem o conhecimento desses parâmetros é impossível propor alterações . Logo, a análise estética segue os mesmos critérios, seja de maneira analógica ou digital.

Alinhamento da fotografia em relação as pupilas e construção de linhas de referências horizontais e verticais

Veja agora um trecho da palestra sobre esse assunto!

É possível alcançar a perda óssea zero ao redor de implantes?

Sistemas cerâmicos, especialmente à base de zircônia tetragonal estabilizada por ítria (Y-TZP) que apresenta um notável desempenho mecânico devido ao processo de tenacificação por transformação de fase (σ= 1200 MPa; E= 220 GPa), vem sendo desenvolvidos devido à alta demanda estética e limitações associadas ao halo acinzentado produzido principalmente em pacientes com biótipo gengival fino reabilitados com reconstruções metálicas.

Tal fato é ainda mais relevante quando se considera o nível de perda óssea marginal reportado em estudos a longo prazo (~1,0 mm, variando de 0,1 a 2,7 mm), que pode exacerbar tal desvantagem através da exposição do componente metálico.

Veja agora um trecho da palestra sobre esse assunto!

Gostou do conteúdo?

Esse foi um trecho da palestra apresentada no evento PRODIM (Protocolo de Reabilitação Oral Digital Medens), que aconteceu nos dias 22 e 23 de Julho de 2022 em Campinas/SP. O evento reuniu mais de 200 participantes, contando com 12 palestrantes e o lançamento do livro PRODIM para todos os presentes.

Confira mais informações sobre o evento clicando aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Name *